"Nunca deixo de ter em mente que o simples fato de existir já é divertido."


domingo, 29 de agosto de 2010

A CONFISSÃO FINAL

Meu Pé de Laranja Lima

Os anos se passaram, meu caro Manuel Valadares.

Hoje tenho quarenta e oito anos e às vezes na minha saudade eu tenho impressão que continuo criança. Que você a qualquer momento vai me aparecer me trazendo figurinhas de artista de cinema ou bolas de gude.

Foi você, quem me ensinou a ternura da vida, meu Portuga querido. Hoje sou eu que tenho distribuir as bolas e as figurinhas, porque a vida sem ternura não é lá grande coisa. Às vezes sou feliz na minha ternura, às vezes me engano, o que é mais comum.

Naquele tempo. No tempo de nosso tempo, eu não sabia que muitos anos antes, um Príncipe Idiota ajoelhado diante de um altar perguntava aos ícones, com os olhos cheios d’água:

“PORQUE CONTAM COISAS ÀS CRIANCINHAS?”

A verdade, meu querido portuga, é que a mim contaram as coisas muito cedo.

Adeus!

Utabuta,1967

[ ]s
Eliana Guedes

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Bolsas de inverno

Fonte: marieclaire.es








[ ]s
Eliana Guedes


quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Quando tudo termina!

Quero fazer um relato inédito, na verdade comentei uma vez com a minha médica, que contestou dizendo que seria um momento temporário e que tudo ficaria bem!

Primeiro vou fazer um breve resumo: Passei duas vezes pelo processo de tratamento para câncer. A primeira em 2001, estava me formando em farmácia, era um momento de muitas expectativas e como um abrir e fechar dos olhos descobri que tinha Doença de Hodkin, fiz o tratamento ao longo do ano de 2002. Muitas coisas deixei de fazer, mudei meus conceitos, crenças e objetivos. Fui e reagi como uma pessoa forte, enfrentei o problema de frente e nunca deixei desanimar, mesmo quando as notícias não eram animadoras. Quando terminei o tratamento o alívio foi geral, fiquei pra lá de feliz, foi pura festa. Mas de repente me deu uma coisa que não sei exatamente explicar, mas parecia uma depressão (ou era), como se tivesse uma carga muito grande de estress durante um tempo e ali era hora de descarregar! Passei um bom tempo assim, desanimada, frustada com as coisas que tinha deixado pela metade. Tudo voltou ao normal ou pelo menos penso que sim, meus objetivos e sonhos mudaram, realizei meus desejos, corri para fazer o que tinha vontade. Em 2008 resolvi ir mais longe, mudei de casa, de trabalho, de cidade, de país. Mas com 10 meses na Espanha tive uma recaída, a última das últimas coisas que pensei ter! Passei novamente por um longo ano de tratamento.


Fazem exatamente 6 meses que terminei o tratamento e novamente estou naquela fase de descarrego do estress (se é que isso existe). Muitas coisas perderam a graça, dou conta do quanto sou frágil e suceptível a uma nova recaída. Não sou do tipo pessimista, muito menos otimista. A doença e o processo de tratamento sem dúvida nenhuma, me faz ser muito mais racional. Nunca deixei de acreditar que o câncer tem cura, que valeu e vale a pena lutar pela minha vida. O que passa é que o tratamento e a doença me sobrecarregou, me transformou em uma pessoa super forte e quando tudo se resolveu começo a me sentir sem força.


Sou feliz, sou extremamente grata de ter tido o previlégio da cura, sei exatamente o valor de viver! Infelizmente é o processo de tratamento, sempre vai ter "o momento" em que é necessário aliviar. Necessito mostrar que não sou tão forte como todos pensam, tenho que chorar, tenho que gritar! O duro é quando as pessoas que estão ao redor não compreendem, creem que é uma ataque de loucura ou pensam que se trata de uma pessoa ingrata. Em quanto, na verdade o único que preciso é descarregar ou RECARREGAR minhas forças e as boas energias.

[ ]s
Eliana Guedes

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Brincando com smilebox

Click to play this Smilebox collage
Create your own collage - Powered by Smilebox
Free photo collage generated with Smilebox


[ ]s
Eliana Guedes

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Uma forma fácil de carregar seu portátil


[ ]s
Eliana Guedes

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Meia-calça









Adoro meias-calça, não resisto quando vejo, acabo sempre comprando uma aqui e outra ali, mesmo quando não preciso. Passeando pelo site da Capricho, encontrei modelitos maravilhosos de uma marca francesa chamada Les Queres de Sardines. Super criativas e dão um charme de arrazar em qualquer ocasião.

[ ]s
Eliana Guedes

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

A democratização do exclusivo

Há muito se fala da democratização da moda, que graças se tornou realidade, entre outras muitas coisas, com o surgimentos de novas loja que apostam em tedência e designer como C&A, Renner e Pernambucanas.

Agora, a moda e a globalização vai mais além, "democratização do exclusivo". Estilistas que antes estavam ao alcance de poucos estão desenvolvendo moda para lojas populares que por sua vez estão lançando coleções exclusivas a preços menores. O mesmo acontece por todo o mundo, onde lojas que ainda aqui no Brasil vende para poucos na europa vendem a preço de lojas populares como Zara, Mango, Blanco e H&M.


Cachecol - C&A

Bolsa - C&A

Muitos estilista tem embarcado nesta aventura dos "low cost". No Brasil Reinaldo Lourenço, Amir Slam, Isabela Capeto e Alexandre Herchcovitch lançaram pela C&A peças exclusivas e a Renner já chegou a ganhar o reforço da nomeada estilista espanhola Agatha Ruiz de la Prada. Com tudo isso quem tá ganhando somos nós, podemos ter roupas e acessórios que antes era adquirido por poucas.

Bolero - Renner


Depois de quase dois meses aqui no Brasil, resolvi sair para garimpar, ver o que está nas lojas, o que a mulherada está vestindo. Na verdade estava com saudades das minhas idas a Gran Via. Encontrei peças iguais, iguaizinhas a que namorava na H&M, sem contar com outras muito parecidas com as que Blanco, Zara e Mango estavam vendendo na última temporada em Madrid.

Viva a democratização da moda!

[ ]s
Eliana Guedes

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Skinny

Adoro a calça do modelo skinny, me sinto elegante e sexy. É um modelo que vai do chique ao básico que permite ousar, dá pra combinar com botas, sandálias, sapatilhas, rasteirinhas, scarpin e até all star.


Não importa que tipo de corpo você tem, experimente usar uma skinny te fará sentir fantástica, você pode combinar com blusas mais volumosas, camisas larguinhas, camisetas e tops estilo túnica, também te permite a usar estampas e florais. É uma moda que vai de estação a estação.

Pra quem gosta de novidades e sair da rotina pode recorrer aos modelos coloridos, ficou um tempo fora do gosto das pessoas, mas tá voltando com tudo e arrasando. Uma ótima dica para próxima estação.

Só não esqueça de respeitar o seu estilo, não adianta querer parecer outra pessoa. Use sempre a moda a seu favor!

[ ]s
Eliana Guedes